O Brasil no sorvedouro da crise estrutural do capital

Tatiana Fonseca Oliveira

Resumo


Este artigo visa fazer uma breve discussão sobre como a redução das políticas sociais está visceralmente ligada ao próprio processo de incontrolabilidade e irreformabilidade do sistema do capital. O Brasil nunca vivenciou a experiência do hoje falido Welfare State. Ao recuperar a sua particularidade histórica, de capitalismo tardio e dependente, é possível observar, por um lado, como as experiências petistas estavam fadadas à falência e, por outro, como essa restrição do assistencialismo estatal – e sua legislação trabalhista que apenas freia, mas não elimina a exploração do proletariado – está se realizando, devido à crise estrutural do capital, de forma extremamente violenta e acelerada no nosso país e no mundo.  


Texto completo:

PDF


REBELA - Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos
ISSN 2237-339X
Instituto de Estudos Latino-Americanos - IELA
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro Socioeconômico - Primeiro andar - Bloco D 
Florianópolis SC
Telefone: + 55 48 37216483

e-mail:iela@contato.ufsc.br