O desenvolvimento do capitalismo industrial e a América Latina: Teoria Marxista da Dependência em perspectiva histórica

Igor Assoni Monteiro Silva, Francis Kanashiro Meneghetti

Resumo


A América Latina, em sua constituição histórica, carrega as marcas do desenvolvimento do capitalismo. Do capitalismo mercantil ao modo de produção capitalista propriamente dito, o “novo mundo” serviu tanto como fonte de recursos para a fome europeia de bens primários para o comércio e, mais tarde, para a produção industrial como destino dos bens manufaturados, na fase da indústria capitalista após a metade do século XIX. Esse quadro configurou as relações de dominação, o “sentido da colonização” e a formação de uma “dialética da dependência” entre as nações capitalistas centrais e as economias periféricas formalmente independentes, porém realmente subordinadas àquelas. A proposta deste trabalho é percorrer os caminhos desses desenvolvimentos, a partir da Teoria Marxista da Dependência, captando as relações históricas concretas entre centro e periferia capitalistas, culminando com uma breve análise do importante papel de alguns intelectuais brasileiros para a compreensão do subdesenvolvimento por uma compreensão sui generis do materialismo histórico-dialético.

 

Palavras chave: Dialética da dependência, desenvolvimento industrial, América Latina.


Texto completo:

PDF


REBELA - Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos
ISSN 2237-339X
Instituto de Estudos Latino-Americanos - IELA
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro Socioeconômico - Primeiro andar - Bloco D 
Florianópolis SC
Telefone: + 55 48 37216483

e-mail:iela@contato.ufsc.br