Desafios e perspectivas para a justiça ambiental face à nova realidade das mudanças climáticas

Mateus Gabriel Branco Gabriel Branco, Charles Alexandre Souza Armada

Resumo


O atual cenário de aquecimento global e os casos de mudança climática têm conferido novos desafios à sociedade global. Os relatórios da ONU e dos cientistas do IPCC confirmam a participação do ser humano nestes processos e alertam para a intensificação dos eventos climáticos.  As consequências destes eventos, como por exemplo, o aumento da temperatura global, precipitações pluviométricas, ondas de calor e aumento do nível do mar, colocam em risco o bem estar da sociedade civil, sobretudo aquelas que apresentam maior vulnerabilidade frente a este contexto. Dessa forma, a mudança climática se relaciona diretamente com o Movimento de Justiça Ambiental, especialmente quando os efeitos dos eventos ambientais recaem de maneira desigual sobre uma parcela da sociedade que luta diariamente contra as consequências da desigualdade social, concentração de terra e injustiças ambientais. Portanto, assim se apresenta o problema de pesquisa do artigo: quais os desafios da categoria Justiça Ambiental em tempos de mudança climática planetária? Neste sentido, o artigo propõe-se em discutir três objetivos específicos: a) as definições doutrinária para a categoria Justiça Ambiental; b) os desafios que o processo em curso de mudança climática impõe às populações mais vulneráveis; c) as perspectivas futuras relacionadas com a efetivação da Justiça Ambiental.

 

Palavras-chave: Relações Internacionais. Justiça Ambiental. Mudanças Climáticas Globais. Justiça Climática.


Texto completo:

PDF


REBELA - Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos
ISSN 2237-339X
Instituto de Estudos Latino-Americanos - IELA
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro Socioeconômico - Primeiro andar - Bloco D 
Florianópolis SC
Telefone: + 55 48 37216483

e-mail:iela@contato.ufsc.br