10 Anos do governo Evo Morales: O “Nacionalismo Indígena” no poder?

Joallan Cardim Rocha

Resumo


No final de 2015 completam-se 10 anos da eleição de Evo Morales, o primeiro presidente indígena na história da Bolívia, eleito com 52% dos votos em dezembro de 2005. Morales foi eleito após um ciclo de rebeliões populares entre os anos 2000 e 2005 que marcaram profundamente a história recente do país.  A vitória eleitoral de Evo Morales significou uma dura derrota dos partidos tradicionais, que governaram a Bolívia desde o fim da ditadura militar em 1982. A discussão sobre o caráter e a natureza do governo Evo Morales tem suscitado uma serie de polêmicas no interior da esquerda e da intelectualidade boliviana. Este artigo retoma parte do debate realizado por alguns dos intelectuais mais importantes da Bolívia na atualidade, entre eles, destaco o atual vice-presidente Álvaro Garcia Linera[1] e o filósofo e cientista político Luiz Tapia[2] (ambos pertenciam à um grupo de intelectuais conhecido como COMUNA).


 




REBELA - Revista Brasileira de Estudos Latino-Americanos
ISSN 2237-339X
Instituto de Estudos Latino-Americanos - IELA
Universidade Federal de Santa Catarina
Centro Socioeconômico - Primeiro andar - Bloco D 
Florianópolis SC
Telefone: + 55 48 37216483

e-mail:iela@contato.ufsc.br